fbpx
No products in the cart.

Como reduzir a inquietação depois de um longo dia de trabalho?

Stress no trabalho e na vida

Nos dias de hoje, de forma transversal a quase todas a profissões, existem vários elementos comuns, como o excesso de horas de trabalho, sobrecarga de tarefas, responsabilidades e preocupações que muitas vezes vão além do trabalho em si, e isto trás um inegável desequilíbrio entre vida profissional e vida pessoal, e consequente agravar de estados de saúde, físico e mental.

Quando isto acontece, muitas vezes só nos apercebemos aquando dos sintomas manifestos no corpo e a nível psicológico, tais como,

  • dores musculares,
  • tensão,
  • distúrbios nos vários sistemas corporais,
  • cansaço contínuo,
  • ansiedade,
  • irritabilidade,
  • inquietação mental,
  • sentimentos de insatisfação e falta de propósito,
  • depressão,
  • degradação da qualidade do teu próprio trabalho com todas as consequências que isso trás para ti e com quem lidas na tua profissão,

entre muitos outros.

Diria também que por muito que ames a tua profissão, se começas a entrar neste estado de stress é muito possível que entres numa fase de questionamento, se estás ou não no caminho certo para ti.

O nosso trabalho e profissão, onde investimentos uma grande parte da nossa vida não pode e nem deveria ser fonte de inquietação interior e doença!

Excesso de trabalho, escolha ou necessidade?

Esta realidade para muitos de nós não é transmutável, ou seja, precisas deste trabalho, é imprescindível para a tua subsistência e da tua família, é aquilo que te confere sentimentos de segurança e de propósito, e de alguma forma, acreditas que tem que ser assim, e não tens alternativa, e que podes sempre esperar pelas férias para descansar, e para muitos de nós, esperamos pela reforma para poder finalmente disfrutar da vida e dos frutos do nosso trabalho.

Desequilíbrio entre vida pessoal e vida profissional

O que acontece assim é que deixamos de viver o nosso presente para focar no futuro, e o presente acaba por se deteriorar, resultando num futuro incerto.

É a receita perfeita para cultivar todos os sintomas que referi acima. Sim, a segurança é importante, mas não a todo o custo, pois é última instância, estás a permitir a degradação da tua saúde, que por sua vez pode e vai abalar esse estado de segurança.

Um dia na minha vida!

“Terminei mais um dia de trabalho stressante, clientes, pacientes, reuniões, reclamações, etc,

não tive tempo para aproveitar pausas durante o dia,

tive que triplicar a quantidade de café para manter a energia e o foco,

as refeições foram demasiado rápidas e pouco nutritivas

e quando cheguei a casa, só quero descansar e fazer nada,

mas ao mesmo tempo o corpo está tão tenso e dorido que não consigo descansar,

não tenho tempo e paciência para cozinhar, acabo por fazer take away,

sinto-me sem energia para estar com a minha família,

perdi a motivação para me dedicar ao meu hobbie favorito,

fico irritável,

o cansaço é avassalador,

a minha mente parece que continua no trabalho, num estado de inquietação ruidoso e insuportável,

a líbido vai subtilmente se perdendo, sinto que preciso de uma estratégia rápida e eficaz para apagar a mente por uns instantes e faço uma maratona de séries,

vou deitar-me tarde e ainda assim sinto insónias, e quando adormeço, sinto-me em sobressalto.”

Acabei de descrever aquilo que já foi o meu dia, enquanto trabalhava numa instituição financeira, e muito possivelmente o dia de muitos de vós. Quantas das situações acima também fazem parte do teu dia?

Observa, desperta e reescreve um dia da tua vida

O primeiro passo para transformar este estado de sítio, é perceber que efectivamente está a acontecer. Observa e reflecte sobre o teu dia, a tua vida.

Descreve no papel o teu dia habitual, desde o momento em que acordas até ao fim do dia, incluindo a tua noite. Descreve as tarefas, o que fazes, como te sentes, quais são as sensações físicas que estão presente ao longo do teu dia, que tipo de pensamentos surgem, que emoções se manifestam, e como é que te sentes ao fazer esta descrição.

Encara esta tua realidade e toma consciência, e só assim poderás preparar-te para uma transformação. Esta transformação implica reconhecer que algo não está bem, e responsabilizar-te pela mudança antes que os sintomas definam a tua vida, o teu presente e o teu futuro.

Qual é a tua situação actual?

Quando fazes esta observação podes possivelmente chegar a alguma destas conclusões internas, ou algo pelo meio:

Observa agora, qual é a tua conclusão? Em que espectro te encontras, no da resignação, ou no da consciência da necessidade de uma mudança, seja na origem, ou na forma como lidas com as circunstâncias presente.

Descreve no papel, incluindo a forma como te sentes ao realizar isto, quais são as sensações no teu corpo, contração e tensão na barriga, garganta bloqueada, peito aberto, leveza nos ombros, qual é a qualidade de pensamentos que surgem e que emoções são desencadeadas.

E nenhuma conclusão está errada, faz esta observação de forma objectiva, sem culpas, sem julgamento e sem crítica. O mais importante é tomar consciência de qual é o estado em que te encontras para trabalhar a partir daí, tomar a decisão que precisas neste momento e agir sabiamente.

Resignação não é empoderamento

Se ficaste no espectro da resignação, convido-te a observar ainda mais fundo, por exemplo o porquê dessa resignação, que necessidades fundamentais estão subjacentes, o quão elas são importantes para mim, quais são as tuas prioridades, se pudesses seguir um rumo diferente, que caminho seguirias, acreditas nessa possibilidade, o que precisarias então de mudar agora para que essa nova realidade se pudesse manifestar para ti? Como te sentes a fazer esta reflexão?

Começa por aqui, um passo de cada vez! E transforma este estado de resignação, que pode reflectir-se em inércia e apatia, num estado mais empoderado de Ser. 

reduz a inquietação depois de um longo dia de trabalho
Não precisas de estar sozinho e sozinha nesta jornada!

Porque é que os fins-de-semana e férias não chegam?

Este aspecto é muito importante, e eu descobri na minha própria pele e também pela observação do que se passa à minha volta. 20 a 25 dias de férias num ano, fins-de-semana, feriados. Se somares todos estes dias ao longo do ano em que não trabalhas aparentemente parece muito, mas o que é que acontece na realidade?

Durante a semana:

N horas de trabalho, muitas vezes além do horário normal e outras tantas nem sequer é compensado financeiramente, começas a segunda com inquietação só de pensar no que te espera toda a semana, a meio da semana, o cansaço já se faz sentir, e mal podes esperar por sexta-feira.

Chega sexta-feira e todos os planos que tens para o fim-de-semana começam também a ser fonte de stress, pois neste momento já estás em exaustão.

Fim-de-semana:

Percebes que precisas de descansar, carregar baterias, mas é quando tens tempo livre para estar com família, amigos, fazer algo que gostas, só que não consegues estar a 100%, não consegues desfrutar, ou ao contrário, tentas fazer tudo ao máximo, e o fim-de-semana passa a ser fonte de inquietação interna e mais cansaço.

Começa a alojar-se o síndroma de domingo, a antecipação da semana, a sensação de culpa por não teres descansado e uma inquietação mais profunda ainda.

Um fim-de-semana ou feriado não são suficientes para reestabelecer um estado de equilíbrio, o corpo e a mente precisam de mais tempo e de tempo de qualidade para fazer um reset, pois a acumulação de stress e cansaço é muito grande, e durante os teus dias não consegues fazer a pausa e reset necessário para não te esgotares e nutrir a tua vitalidade.

Férias:

Tudo aquilo que ansiaste até agora! “Sim, agora é que vou descansar.”

Mas…só tens estes dias para desfrutar com qualidade do que mais gostas.

E também na realidade, uma ou duas semanas são insuficientes para compensar a sobrecarga durante todo o ano. E ao tirar as férias de uma só vez, vais sentir o impacto da acumulação de inquietação e cansaço ao longo do resto do ano.

Quantas vezes é que não tiraste férias e ficaste doente e todos os planos foram por água abaixo? É o teu corpo a fazer a desintoxicação do stress, é um impacto real.

E quantas outras vezes, planeias as férias mais épicas para sair do stress do dia-a-dia e entras no stress das férias, e a inquietação continua presente, só que com uma roupagem diferente.

Talvez a tua semana e férias tenham uma estrutura diferente, mas eu convido-te a reflectir também sobre o que acontece na tua rotina de descanso.  

Necessidade de fazer pausas e reset

Voltamos aonde te encontras neste momento. Já possivelmente concluíste: “Não, isto não pode continuar assim!”

Tens várias alternativas.

Uma mudança radical por exemplo na profissão, ou no trabalho, e atenção aqui para não voltares a repetir os mesmo padrões (!), ou…

Começar conscientemente a integrar novos hábitos no teu dia-a-dia (que é de imenso valor mesmo que mudes de trabalho), que te ajudam a fazer pausas intencionais e valiosas para recuperares a tua energia e manter a vitalidade de forma saudável, para que possas, não apenas viver a tua semana com melhor qualidade, qualidade esta transversal ao teu trabalho e vida pessoal, mas também desfrutar de fins-de-semana e férias com mais prazer.

O resultado não é eliminação de todas as fontes e circunstâncias de stress externo (e sabes que mesmo quando fazes o que mais amas existem sempre aspectos stressantes), mas sim, resgatar fontes internas para lidar com a inquietação interna, melhorar a tua resiliência ao stress e mais força interior para viver uma vida em equilíbrio AGORA.

Esta é a base de sustentabilidade que te vai permitir um futuro com mais saúde, realização e plenitude. 

A renovação consistente e integral da tua energia através destas pausas vai evitar a sobrecarga de stress e ansiedade no teu organismo e melhorar a tua capacidade de resposta ao stress a partir da tua força interior, resiliência e amor-próprio.

Vais conseguir transformar a inquietação em PAZ INTERIOR, e seguir uma vida alinhada com o teu coração e propósito!

Dá um passo de coragem e decide mudar o ruma da tua vida

Este passo é fundamental! Decide fazer algo! Mesmo que no inicio provoque desconforto. Procura explorar e ser curioso e curiosa acerca do que melhor resulta para ti e que te permita ciar momentos de conexão com a tua energia vital, para que ela possa expandir.

Práticas holísticas, que integram o Ser como um todo (ou seja, corpo, mente, coração e espírito) são uma solução no meu ponto de vista essencial para resgatar PAZ INTERIOR e EQUILÍBRIO na vida.

Independentemente da origem do problema e dos sintomas que se manifestam, tudo o que te possa trazer para um espaço de maior auto-conhecimento e consciencialização, vai contribuir indubitavelmente para:

  • um sentido de maior direcção na tua vida, 
  • de melhor discernimento, d
  • e escolhas mais sensatas, 
  • de melhor compreensão das tuas necessidades e prioridades, 
  • maior auto-estima e amor-próprio, 
  • de saber dizer NÃO aquilo que já não te serve, inclusive impor limites àquilo que te provoca mau estar, desequilíbrio e que está desalinhado dos teus valores (sim, é preciso aprender a dizer não!), 
  • e acima de tudo, liberação de um estado de inquietude que domina a tua vida.

Mesmo quando fazemos o que mais amamos, em termos de profissão, existem factores e circunstâncias externos que nos abalam, e por isso é importante manter o centro, e fazer destas práticas uma rotina essencial para reestabelecer o vinculo com a nossa energia vital e o nosso propósito, em confiança,  segurança, amor e autenticidade.

O que posso então fazer?

Yoga, meditação, respiração consciente são práticas recomendadas, não apenas por mim, mas por inúmeros estudos e todos aqueles que viram a sua vida transformar-se e a passar de uma estado de insatisfação e inquietação para um estado de prazer e paz interior!

Vamos passar a celebrar as segundas-feiras e a celebrar mais ainda todas aquelas pausas gratificantes e prazerosas na vida como fonte de vitalidade e saúde!

É importante então, ultrapassar a resistência inicial e as nossas objecções interiores, para introduzir estas novas rotinas. Sozinho e sozinha sei que não é fácil. Quando nos integramos numa comunidade e temos o suporte certo, é muito mais fácil manter a inspiração e a motivação, e os resultados são bem mais sustentáveis.

Novas possibilidades e sugestões para a tua rotina de aquietação e paz interior:

Assim, quando chegas a casa, ao invés de te sentares no sofá e ligar a televisão, ou pegar no telemóvel e entrar em modo de scroll infinito, reserva tempo para ti. Pode não ser fácil, mas eu sei que tu sabes que é isto que precisas!

Estes 30 minutos não devem ser negociáveis, mas flexíveis o suficiente para que também não seja fonte de inquietação. Por exemplo, talvez seja logo pela manhã ao invés do final do dia, acordando um pouco mais cedo, talvez não seja todos dias, mas duas ou três vezes por semana, o mais importante é que seja uma acção intencional e dedicada a ti mesmo.

Para mais sobre o tema da INQUIETAÇÃO INTERIOR convido-te a ler este Blog:

Suporte, comunidade e desafio

Para te facilitar neste processo, criei um curso desafio de 5 dias, numa primeira edição totalmente Online, onde te vou guiar de um estado de Inquietação a um estado de Paz interior, numa jornada de Yoga e Respiração.

Durante estes dias vais aprender a reconhecer onde te encontras neste momento, e o que podes fazer para transformar, através de diferentes práticas, simples e acessíveis, mas muito eficazes, inspiradas no Yoga e na respiração consciente, sempre com o meu acompanhamento.

Convido-te desde já a saber mais e a inscrever-te clicando no link abaixo:

Quando te inscreveres vais ter acesso a um grupo privado de alunos no TELEGRAM, onde vais ainda ter acesso directo a mim, em que te posso ajudar em todas as tuas dúvidas e questões relacionadas com a tua jornada. Para além do meu suporte, tens acesso a todo o conteudo do curso imediatamente e ao longo de 6 meses para que possas implementar ao teu ritmo. De 5 dias para uma transformação real e sustentável para toda a vida. E por um valor épico e irresistível de 22€!

Então não esperes mais e junta-te a nós.

Talvez te ajude a ler novamente este artigo e reflectir sobre tudo o que partilho, faz a tua escrita reflectiva e decide empoderar a tua vida. Ultimamente a escolha é sempre individual.

Eu decidi mudar a minha vida, e começou em mim, na observação e tomada de consciência. Tu também o podes fazer, e eu posso guiar-te ao longo deste processo, com sabedoria e sensibilidade.

Aceitas o desafio?

Com alegria,

Fátima Fernandes

Yoga & Soulbodywork

Newsletter "partilhas transformadoras"

Gostaste do que leste?

Convido-te a subscrever a newsletter que partilho contigo semanalmente para que fiques a par dos novos artigos, novidades acerca do Yoga Shala e do meu trabalho, assim como receberes todas as ofertas exclusivas que criei para esta comunidade em expansão!


Fátima Fernandes

Fátima Fernandes

Olá a todos! Bem vindos a este meu espaço de escrita, partilha, inspiração e transformação!

Posts Relacionados

Leave A Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *